Difference between revisions of "Determinação da Velocidade do Som"

From wwwelab
Jump to navigation Jump to search
Line 61: Line 61:
 
\]
 
\]
  
 +
onde \(s\) é a distância entre os microfones seleccionados. Podem ser usadas outras formas de onda, mas isto requer uma análise cuidada da da fase entre sinais.
 +
 +
<!--
 +
=Protocolo Avançado=
 +
Usando a função de coerência entre os sinais adquiridos
 +
-->
  
 
=Ligações=
 
=Ligações=
 
*[[Determination of the Speed of Sound | Versão em Inglês (English Version)]]
 
*[[Determination of the Speed of Sound | Versão em Inglês (English Version)]]
 
*[http://e-escola.ist.utl.pt/topico.asp?id=62 Artigo no portal e-escola sobre esta experiência]
 
*[http://e-escola.ist.utl.pt/topico.asp?id=62 Artigo no portal e-escola sobre esta experiência]

Revision as of 11:29, 12 March 2013

Descrição da Experiência

Esta experiência permite a determinação da velocidade do som.


Ligações

  • Video: rtsp://elabmc.ist.utl.pt:554/statsound.sdp
  • Laboratório: Avançado em e-lab.ist.eu[1]
  • Sala de controlo: statsound
  • Nível: ****


<swf height="290" width="500">http://www.elab.tecnico.ulisboa.pt/anexos/descricoes-flash/StatSound.swf</swf>


Aparato experimental

A montagem consiste num tubo (por vezes referenciado como “tubo de Kundt”) de PVC, com 1458 milímetros de comprimento, em que numa das pontas está fixo um altifalante que pode produzir uma onda sonora sinusoidal ou triangular, ou apenas um pulso sonoro. Na extremidade oposta está um êmbolo que pode ser deslocado, alterando assim o comprimento efectivo do tubo. Ao longo do tubo, estão colocados vários microfones para adquirir a intensidade do sinal sonoro.

A tabela seguinte descreve a posição dos microfones em relação à fonte (altifalante):

Referência Distância à fonte (mm)
Mic 1 (referência) 250
Mic 2 (centro do tubo) 750
Mic 3 (extremidade do tubo) 1250
Mic 4 (superfície do êmbolo) Entre 1260 e 1480
Extremidade do tubo 1450
Tabela 1 – Distância dos microfones à fonte (altifalante)


O microfone de referência (Mic 1) deve ser utilizado para verificar se o som produzido é o pretendido e se não ocorre distorção pelo altifalante. Na extremidade oposta ao altifalante, embutido no êmbolo, existe um microfone (Mic 4). O êmbolo pode-se deslocar entre 1269mm e 1475mm, criando condições para existirem ondas estacionárias. A partir dos 1455 milímetros, o êmbolo está no exterior do tubo. O som é adquirido pelos dois canais de uma placa de som, sendo o canal esquerdo (CH 1) referente sempre ao microfone de referência (Mic 1). O outro canal (CH 2) pode ser conectado a qualquer um dos restantes três microfones. Os dados da experiência são captados pela placa de som e tratados online (normalizados).


Protocolo

Esta montagem é também usada para a experiência de estacionárias, tendo por isso dois modos de funcionamento: no modo "Velocidade do som" (que é o usado nesta experiência) é adquirida a amplitude da onda ao longo do tempo.

Para determinar a \( v_{som} \), deve escolher-se um estímulo do tipo "pulso" e medir o intervalo de tempo que a onda demora entre o microfone 1 (referência) e um dos outros (microfone 2, 3 ou 4). A velocidade do som pode ser calculada com as distâncias presentes na tabela 1 e a fórmula:

\[ v_{som} = \frac{\Delta}{\Delta t} \]

onde \(s\) é a distância entre os microfones seleccionados. Podem ser usadas outras formas de onda, mas isto requer uma análise cuidada da da fase entre sinais.


Ligações